Ansible: uma ferramenta DevOps para automação de TI

O Ansible é uma ferramenta de automação de TI que automatiza o provisionamento em nuvem, o gerenciamento de configurações, a implantação de aplicativos e a orquestração intra-serviços.

Luzia MendesLuzia Mendes
Ansible

Com a popularização das boas práticas de DevOps, diversas novas ferramentas estão surgindo para automatizar diversas atividades de desenvolvimento e operação de infraestrutura. Uma destas novas ferramentas é o Ansible, software projetado para automatizar provisionamento em nuvem e gerenciamento de configurações, dentre diversas outras atividades.

Quer saber mais sobre esta solução para automatizar processo? Então continua acompanhando nosso artigo!

 

O que é e como funciona o Ansible?

O Ansible é uma ferramenta de automação de TI que automatiza o provisionamento em nuvem, o gerenciamento de configurações, a implantação de aplicativos, a orquestração intra-serviço e muitas outras necessidades de TI. É semelhante ao Puppet e Chef, porém com muito mais recursos, mais simples e amplamente utilizada por profissionais de DevOps.

Projetado para implantações de várias camadas desde o primeiro momento, o Ansible modela sua infraestrutura de TI, descrevendo como todos os seus sistemas se inter-relacionam, em vez de apenas gerenciar um sistema por vez. Um dos seus grandes diferenciais é o fato de utilizar agentes e nenhuma infraestrutura de segurança personalizada adicional, por isso é fácil de implantar – e o mais importante, usa uma linguagem muito simples (YAML, na forma de Ansible Playbooks).

 

Arquitetura eficiente

O Ansible funciona conectando-se aos seus nós e executando programas pequenos, chamados “Módulos Ansible”. Esses programas foram criados para serem modelos de recursos do estado desejado do sistema. O Ansible executa esses módulos (por SSH por padrão) e os remove quando finalizados.

Sua biblioteca de módulos pode residir em qualquer máquina e não há servidores, daemons ou bancos de dados necessários. Normalmente, você trabalha com seu programa de terminal favorito, um editor de texto e provavelmente um sistema de controle de versão para acompanhar as alterações no seu conteúdo.

 
ansible

 
Essa foi uma pequena introdução sobre esta incrível ferramenta. Em próximos artigos abordaremos outras tecnologias, como Jenkins, Docker, Pupper e Vagrant.

Fique atualizado com nosso melhor conteúdo!

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn

Leitores também acessaram: