Conheça as três grandes áreas da TI corporativa

São muitos os estágios da maturidade de TI e, com a transformação digital, até empresas pequenas precisam investir para garantir a continuidade do negócio.

Pierrie BullingPierrie Bulling
Infraestrutura de TI e TI Corporativa

Com a transformação digital, muitas organizações enfrentam o desafio de aprender a utilizar a TI de forma corporativa. Com a evolução da tecnologia e a necessidade de melhorar processos, a TI deixa de ser apenas os computadores dos funcionários e a rede básica de Internet e passa a ser provedora de serviços de tecnologia.

Essa mudança de paradigma exige uma infraestrutura adequada para manter o ambiente de TI. Resumidamente, esta estrutura contempla um conjunto de hardwares, licenças e configurações que precisam funcionar em perfeita sincronia para que a organização tenha seus sistemas funcionando com performance, segurança e confiabilidade.

A seguir, vamos explicar as três grandes áreas de uma Infraestrutura de TI corporativa.

1. Administração de Servidores

Servidores são computadores com grande capacidade de processamento e capazes de operar em clusters, compartilhando recursos de forma avançada: que é o que se chama de virtualização. Há alguns anos atrás, falava-se em virtualização como algo novo. Hoje, virtualização já é o básico da arquitetura de servidores.

Quanto ao espaço de armazenamento, sem entrar em maiores detalhes, os servidores podem ter espaço de armazenamento próprio – em discos espetados no próprio hardware – ou utilizar equipamentos externos específicos, chamados storage.

Quanto ao sistema operacional, utiliza-se distribuições Windows ou Linux. Sendo que o licenciamento de sistema operacional para servidores é um tanto complexo e depende da arquitetura escolhida.

Já em relação ao local de instalação dos servidores existem 3 caminhos a seguir: on-premise, cloud ou collocation. Em termos de gestão e configuração de servidores, muitas atividades ainda são manuais, mas com o avanço das técnicas de DevOps, o uso de automação já se consolidou como melhores práticas.

 

2. Administração do Ambiente de TI

Pode-se dividir a TI em duas principais perspectivas: a física e a lógica. Comumente, o termo “infraestrutura de TI” é utilizado para se referir aos equipamentos e ao cabeamento de rede, mas também é um termo utilizado para se referir a todos os componentes de TI em uma organização.

Na InterOp, chamamos de “Ambiente de TI” o conjunto de recursos que formam o ambiente onde rodam os sistemas de informação. Tais como: firewall, proxy, LDAP, anti-vírus, ferramentas de backup e ferramentas de monitoramento.

Ou seja, o ambiente de TI é composto de softwares específicos para a comunicação adequada das máquinas – sejam as máquinas utilizadas internamente pelos colaboradores, sejam os computadores de clientes, parceiros ou fornecedores que acessem algum serviço de TI oferecido pela organização.

 

3. Monitoramento da infraestrutura

Conforme a TI de uma empresa cresce, é preciso utilizar um sistema para monitorar os equipamentos, os links de internet e até as aplicações. Este monitoramento significa a implantação de ferramentas como o OpMon ou Zabbix, ambos implantados pela InterOp. Essas tecnologias irão disparar alarmes caso algum sistema tenha perda de conexão ou de performance. Assim, as equipes podem atuar proativamente para evitar incidentes ou, caso estes ocorram, uma equipe de plantão irá atuar imediatamente.

Um NOC (Network Operation Center) é uma estrutura que opera continuamente, 24/7, no monitoramento dos ativos de TI. Normalmente, o NOC terá monitores onde são exibidos dashboards que mostram o status dos diferentes sistemas monitorados e alertam perdas de performance relevantes ou incidentes. Hoje, já se trabalha em automações para essas atividades, mas ainda é preciso que uma equipe de pessoas que monitorem o monitoramento e atuem a partir dos alarmes disparados.

 
Implantação de NOC

 

Conclusão

A infraestrutura de TI é um investimento necessário a todas as organizações, visto que a transformação digital impulsiona as empresas de diferentes segmentos a passarem a adotar sistemas de informação para sua operação ou para melhorar os serviços entregues aos seus clientes. Além dos equipamentos e sistemas, é preciso investir em uma equipe qualificada, capaz de operar os sistemas complexos que compõem o ambiente de TI.

Além da equipe, também é preciso criar base de conhecimento, métricas de performance, planejamento estratégico, estratégia de crescimento e padrões de qualidade. Por isso, muitas empresas optam pelo Outsourcing de TI como estratégia para reduzir gastos e, ao mesmo tempo, contar com uma equipe altamente capacitada e experiente.

Fique atualizado com nosso melhor conteúdo!

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn

Leitores também acessaram: