TRF4 implementa DevOps no desenvolvimento do SEI

Com apoio da Interop, TRF4 reduz de 2 dias para menos de 1 hora o tempo de provisionamento de novos servidores.

Equipe Interop
Case TRF4

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região – TRF4R – com jurisdição nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, tem sua sede em Porto Alegre/RS. Onde, há cerca de dez anos, a InterOp acompanha e apoia a evolução da TI do TRF4 com contratos de consultoria em plataformas OpenSource – RedHat, CentOs, Zimbra e Zabbix.

Na última década, o Tribunal passou a desenvolver importantes soluções de software como o EPROC e o SEI. Estes sistemas modernizaram não só a Justiça, mas também diversos órgãos públicos no país todo que passaram a adotar o SEI como ferramenta de trabalho.

O EPROC já soma quase 6 milhões de processos eletrônicos somente na 4ª Região, enquanto mais de 350 empresas públicas já usam (ou estão implantando) o SEI.

 

Times de Desenvolvimento

Tanto o EPROC quanto o SEI são desenvolvidos no TRF4, por servidores públicos. O Tribunal possui um grande departamento de TI, com desenvolvedores, analistas e um data center próprio. Já na área de infraestrutura de TI, o TRF4 conta com os consultores da InterOp, que mantém um cotidiano consultivo, além das atividades técnicas específicas.

Acompanhando as crescentes necessidades da equipe de desenvolvimento, a InterOp indicou a necessidade da adoção de práticas de DevOps devido à crescente e constante demanda das equipes de desenvolvimento por ambientes de teste e de homologação. Somados aos ambientes de desenvolvimento e de produção, chegam a mais de 500 servidores virtuais – que rodam, também, os sistemas de sustentação utilizados pelo TRF4 na sua operação jurídica.

 

Projeto DevOps

O projeto de implantação de DevOps contou com um período inicial de cerca de um mês para preparação do catálogo de configurações, que é mantido e suportado pela equipe de analistas e engenheiros da InterOp.

O tempo de provisionamento de um novo servidor, antes da utilização das práticas de DevOps, era de cerca de 2 dias – um atraso muito indesejado principalmente nos times de desenvolvimento. Além desta demora, a configuração dos servidores não era padronizada e não havia controles de qualidade. Para resolver estes problemas e melhor atender as equipes de desenvolvimento do TRF4, a InterOp passou a utilizar o software Puppet para a configuração dos sistemas.

O Puppet é uma ferramenta utilizada para a aplicação de configurações nos sistemas, além de colher informações e reportar sobre o sucesso ou não da aplicação de uma nova configuração. Para melhor utilizar o Puppet em um ambiente com tantos servidores, foi também implantado o RedHat Satellite 6 – que simplifica o gerenciamento das configurações via Puppet, garante a padronização e agiliza o provisionamento em escala.

Hoje, o tempo para provisionamento (criação, configuração e instalação) de um novo servidor é, em média, cerca de 30 minutos. Com esta significativa mudança, os times de desenvolvimento do TRF4 ganharam ainda mais dinamismo e performance para suas entregas.

 

Conclusão

Os principais benefícios da utilização de DevOps são a agilidade no provisionamento, a padronização das configurações e a consequente redução da complexidade operacional para manter, monitorar, suportar, auditar e atualizar toda essa infraestrutura. Além disso, para viabilizar o processo de automatização do provisionamento, foi necessário implementar um processo de gestão de mudanças, que por si só trouxe mais controle, segurança e aumentou a disponibilidade dos ambientes – pois reduziu os erros e o downtime durante atualizações.

 
Implementação DevOps

 
A InterOp tem orgulho de acompanhar a evolução dos seus clientes e de estar sempre evoluindo para entregar as soluções mais adequadas, à altura das novas necessidades. Pois um dos valores da InterOp é ser não só um prestador de serviços, mas um verdadeiro parceiro de negócio na área de infraestrutura de TI.

Fique atualizado com nosso melhor conteúdo!

    Compartilhe

    Leitores também acessaram: