Entenda o que é Compliance e qual seu papel no contexto da TI

O compliance dentro do âmbito da TI têm por objetivo trazer maior segurança aos dados, contando com políticas de acesso e tecnologias anti-fraude para garantir a confiabilidade de suas informações.

Luzia MendesLuzia Mendes
compliance

O Setor de TI possui um papel vital dentro das empresas, sendo responsável por dar suporte a todos os setores da organização que façam uso de tecnologia para realizar suas operações. Ter acesso a dados relevantes de maneira fácil e rápida é o que ajuda as empresas a tomarem decisões mais assertivas.

Entretanto, no meio de tantos benefícios trazidos pela tecnologia, os riscos atrelados a ela aumentam, como violações à privacidade e fraudes. É importante tomar uma série de cuidados para manter a segurança dessas informações.

Neste cenário, se aplica o Compliance, que nada mais é do que um conjunto de boas práticas para que o ambiente corporativo seja confiável e seguro. Quer saber mais sobre esse termo, sua importância dentro das organizações e como ele se relaciona com a nova lei geral de proteção de dados? Então acompanhe nosso post!

 

O que é Compliance?

O termo se refere ao conjunto de medidas que têm por objetivo seguir leis e regras, promovendo uma cultura empresarial que preza pela ética e moral, voltada para garantir relações transparentes. Seu intuito é minimizar os riscos empresariais, como penalidades originadas pelo não cumprimento de legislações e regulamentações específicas.

Um exemplo é a nova lei geral de proteção de dados, que impacta diretamente no tratamento de dados pessoais realizados pelas empresas e que tem impacto direto na área de tecnologia.

No âmbito da TI, o compliance se refere a segurança de dados, contando com políticas de acesso e tecnologias anti-fraude para garantir a confiabilidade de suas informações. Ter uma boa política de governança de TI auxilia os profissionais da área de compliance a ter uma visão mais clara sobre o comportamento das equipes. Assim, é possível assegurar que a empresa aja em conformidade ao marco civil da internet, lei dos direitos autorais, bem como com as novas leis de proteção de dados GDRP e LGPD.

As normas de compliance devem incluir regras que visam evitar ataques, invasões à infraestrutura da rede e controle do uso de dados corporativos de forma indevida.

Para que o nível de segurança empresarial se mantenha elevado, alguns cuidados devem ser levados em conta, como:

  • Monitoramento contínuo a fim de detectar ameaças;
  • Implementação de VPNs nos dispositivos utilizados para trabalho remoto;
  • Criação de políticas voltadas para backup de dados;
  • Criação de plano de recuperação de desastres.

 

Como colocar em prática as políticas de Compliance

Primeiramente, a criação de um setor compliance deve contar com um código de conduta de linguagem acessível para todos os colaboradores da organização, estes devem ser conscientizados da importância de seguir as normas de conduta da empresa.

Soluções de monitoramento e controle de dados, devem ser adotados para que a organização tenha uma visão abrangente de como sua infraestrutura é utilizada e quais processos de trabalho possuem maior impacto na empresa. A tecnologia é uma grande aliada na gestão de rotinas de compliance, pois com ela se tem um fluxo de trabalho mais regulado e seguro.

 

Relação entre compliance e LGPD

A lei geral de proteção de dados (LGDP) que já está em prática desde 18/09/2020, é o marco regulamentador da proteção e transferência de dados pessoais no Brasil. Com essa nova lei entrando em vigor, as políticas de compliance devem se adequar, entrando em conformidade com os parâmetros exigidos pela lei LGPD.

É necessário um profissional atuando juntamente com o comitê de compliance, ainda que com participação não exclusiva, sendo responsável pelos procedimentos internos acerca do tratamento de dados e da segurança da informação destes dados, tanto de colaboradores, fornecedores e clientes.

Fique atualizado com nosso melhor conteúdo!

    Compartilhe

    Leitores também acessaram: