Conteinerização de aplicativos: Docker e Kubernetes

Conheça as tecnologias Docker e Kubernetes e saiba como a união das duas tecnologias torna sua infraestrutura mais robusta e seu aplicativo mais disponível.

Equipe InteropEquipe Interop
Conteinerização de aplicativos: Docker e Kubernetes

Quando o assunto é tecnologia, a cada dia surge um novo conceito relacionado a tornar processos mais ágeis, flexíveis e seguros. No que tange o desenvolvimento de aplicações e a criação de ambientes para testes, o processo de virtualização pode ser demorado e caro em termos de processamento computacional. Afinal, a utilização de máquinas virtuais pode consumir muitos recursos. Entretanto, graças aos novos métodos de conteinerização, hoje é possível tornar esses processos mais rápidos e confiáveis.

Como plataformas que te auxiliam nessa atividade, podemos citar o uso dos containers: Docker e Kubernetes. Você não sabe o que essas tecnologias fazem? Então acompanhe nosso post e saiba como essas ferramentas podem vir a te auxiliar.

 

O que são contêineres?

A tecnologia de contêineres pode ser definida como um ambiente isolado dentro de um servidor. Entretanto, diferente das máquinas virtuais, que exigem todo um sistema operacional virtual para rodar uma aplicação, divide um único host de controle. Ou seja, é um pedaço de software que precisa de menos recursos para ser operacionalizado.

Por ele ser isolado, trás a flexibilização da utilização limitada de HD, memória e processamento. Quando utilizado o compartilhamento de kernel, os contêineres trazem maior economia de recursos do que as máquinas virtuais.

 

O que é Docker?

O Docker é um software livre que visa automatizar a implantação de aplicativos como contêineres portáteis e independentes que podem ser executados na nuvem ou de maneira local. Ele acabou se tornando o formato padrão para contêineres. Com o Docker Engine é possível criá-los e executá-los em qualquer máquina de desenvolvimento, depois armazenar e compartilhar imagens deles por meio de um registro como o Docker hub.

Conforme a complexidade dos aplicativos começa a crescer para englobar vários contêineres em vários servidores, operá-los torna-se mais complicado. Para coordenar muitos contêineres, criar seus agendamentos e dimensionar muitas instâncias, o mais indicado é fazer uso do Kubernetes.

 

O que é Kubernetes?

O kubernetes é uma plataforma de código aberto (open source) que controla como e em que local os contêineres serão executados. Com ele, você orquestra um cluster de máquinas virtuais e faz o agendamento da execução dos contêineres, com base nos recursos computacionais disponíveis e necessitados por eles.

Ao contrário do Docker, ele conta com uma interface gráfica para configuração e monitoramento dos Pods (menor unidade gerenciável pelo Kubernetes, um contêiner), verifica a integridade dos recursos individuais e permite que os aplicativos se auto estabeleçam, reiniciando ou replicando contêineres de maneira automática.

 

Qual a diferença entre Docker e Kubernetes?

Como principal diferença, podemos citar que o Kubernetes deve ser executado em um cluster e o Docker é executado em um único nó. O Kubernetes coordena clusters de nós em escala e em produção de maneira eficiente, as unidades de agendamento (pods), são distribuídas por entre os nós a fim de fornecer alta disponibilidade.

 

Como as duas tecnologias trabalham juntas?

Com a união das duas tecnologias você torna sua infraestrutura mais robusta e seu aplicativo mais disponível. Mesmo que alguns nós fiquem offline seu aplicativo ainda permanecerá online.
Além disso, o escalonamento permite que se um ambiente está recebendo muita carga e seja necessário uma expansão para que a experiência do usuário seja melhor, isso pode ser executado de maneira simples, apenas habilitando mais contêineres ou adicionar mais nós ao cluster do Kubernetes.

É interessante pensar que as duas tecnologias trabalham juntas. O docker disponibiliza um padrão aberto de empacotamento e distribuição de aplicativos em contêineres e você pode executar um build do Docker num cluster do Kubernetes. Apesar disso, os dois não são uma solução completa, para que sua produção seja otimizada, é importante agregar serviços adicionais para segurança, governança, identidade e acesso e práticas de DevOps.

Fique atualizado com nosso melhor conteúdo!

Compartilhe

Leitores também acessaram: