Qual o impacto do Metaverso na sua vida

Um universo virtual onde as pessoas interagem com avatares digitais personalizáveis. Entenda o impacto do metaverso na sua vida.

Luzia Mendes

Desde outubro de 2021, quando Mark Zuckerberg anunciou a mudança do nome da sua empresa para “Meta”, o mundo foi apresentado ao conceito de metaverso. Mas do que se trata, exatamente? Continue lendo e entenda o impacto do metaverso na sua vida.

O que é o metaverso?

Metaverso é considerado por muitos especialistas como um novo capítulo da internet. É um universo virtual onde as pessoas poderão realizar qualquer atividade interagindo através de avatares digitais personalizáveis, utilizando tecnologias já conhecidas como realidade aumentada e virtual, criptomoedas e redes sociais virtuais.

Estima-se que esta nova forma de se comunicar online substituirá gradativamente o modelo atual: por escrito em plataformas de chat e em video-conferências. O metaverso é tão revolucionário para os padrões que temos hoje quanto uma reunião por Microsoft Teams é revolucionária em relação a uma ligação telefônica. Neste novo conceito, os usuários “entram” nas plataformas como avatares, e a interação entre as pessoas passa a ser cada vez mais parecida com o que os filmes de ficção científica já previam décadas atrás.

“Explicar o Metaverso hoje, é como explicar a internet nos anos 90.” Autor desconhecido.

O metaverso será uma revolução de usabilidade e de interação humana através da tecnologia. Esta revolução será tão grande que gigantes dos setores de comunicação e entretenimento como Epic Games (Fortinite), Roblox, Microsoft e Nvidia já estão na corrida para a criação do seu próprio metaverso

Quando vamos sentir o impacto do metaverso?

A expectativa é que as pessoas sintam o impacto do metaverso nas suas vidas quando começarem a utilizar avatares digitais em ambientes totalmente virtuais para se reunir, interagir, comunicar e colaborar de forma eficiente nos próximos anos. Porém as tecnologias emergentes necessárias para a melhor experiência nesse novo universo é o principal fator para que o modelo de realidade virtual demore alguns anos para se consolidar.

“A maioria das pessoas ainda não possui essas ferramentas, o que retardará um pouco a adoção [do metaverso]. Uma das coisas que possibilitaram a rápida mudança para as video-conferências foi o fato de que muitas pessoas já tinham PCs ou telefones com câmeras”, previu Bill Gates no seu artigo “Year in Review 2021”.

De acordo com Gates, o futuro será construído no metaverso. Para o bilionário, em menos de três anos, todas as reuniões de trabalho acontecerão neste tipo de ambiente digital.“Nos próximos dois ou três anos, prevejo que a maioria das reuniões virtuais se moverá das imagens de câmeras 2D para o metaverso, um espaço 3D com avatares digitais. O Facebook e a Microsoft recentemente revelaram suas visões para isso, o que deu à maioria das pessoas a primeira visão de como será”, escreveu.

Onde acessar o metaverso?

O metaverso não é um lugar, ou um aplicativo a ser acessado. Mas um conceito que será adotado pelas fabricantes de software cujos produtos focam na comunicação entre as pessoas. Em breve, os sistemas serão atualizados para este novo formato.

Assim como o iPhone e o Android já permitem que seus usuários criem avatares personalizáveis para utilizar como figurinhas em comunicações por chat, os sistemas que utilizamos no dia-a-dia passarão permitir a criação de avatares em vez de um simples upload de foto de perfil. Além disso, ao interagir com outras pessoas, teremos uma visão 3d digital muito parecida com o mundo real.

Para quem teme a revolução das máquinas, é um prato cheio.

O impacto do metaverso na sua vida

As pessoas já se comunicam majoritariamente pelo meio digital. Desde a popularização dos smartphones, as conversas passaram a se dar por texto, emojis, figurinhas, fotos e áudios. A discussão sobre o impacto negativo deste tipo de interação é enorme e relevante, mas não se pode ignorar os benefícios. Com a pandemia e o avanço do trabalho remoto, muito se percebe o benefício de as pessoas não precisarem se locomover para chegar aos escritórios. Além disso, toda esta tecnologia aproxima quem está distante fisicamente. Hoje em dia, é bem comum que as pessoas tenham em seu círculo íntimo amigos com quem só falam por mensagens e interações em redes sociais.

Portanto, o metaverso irá afetar todas as áreas de comunicação humana: reuniões de trabalho, ensino, relações pessoais e muito mais. Poderemos interagir com avatares de professores renomados de universidades internacionais sem sair de casa. Poderemos praticar esportes ao lado de avatares de jogadores profissionais. A experiência do usuário no metaverso é totalmente imersiva.

Como as empresas devem se preparar?

Em termos de gestão da comunicação, as empresas precisam investir na cultura remota mais do que nunca. Mesmo com o fim da pandemia, o local de trabalho será, no máximo, híbrido. Dificilmente as empresas voltarão a ter suas operações centralizadas em escritórios. Pois as pessoas perceberam os benefícios da liberdade de trabalhar de qualquer lugar e, dificilmente, aceitarão voltar ao modelo presencial.

Essa novidade traz consigo uma revolução na nossa forma de comunicação corporativa, saindo de um modelo de video-conferências onde os comunicadores apenas apresentam conversações entres os participantes para um modelo onde as reuniões serão interativas e imersivas, de forma natural e quase gamificada. Para Marcos Wettreich, fundador e CEO do iBest, o metaverso deixará de ser algo restrito ao ambiente dos jogos no futuro: “O que você chama de games você vai ver na sua vida toda. Todas as empresas vão migrar para o metaverso porque os negócios vão passar para lá e você vai poder escolher a sua realidade – desde como vai ser a sua casa virtual, o seu quarto, o seu lugar de trabalho. Você vai transpor para um mundo novo que você vai escolher o mundo e vai sentir isso.”

Um exemplo prático é que no inicio de Janeiro a Prefeitura de Uberlandia realizou a primeira reunião do Executivo dentro do metaverso, utilizando o serviço online Horizon Workrooms, principal aposta da Meta, antigo Facebook, para ganhar espaço no crescente mercado do metaverso.

Já em termos tecnológicos, é bom ficar atento aos fabricantes que estão liderando as pesquisas sobre o metaverso. A Microsoft planeja lançar uma versão provisória do seu próprio metaverso já em 2022. A empresa divulgou os planos de desenvolvimento da plataforma com foco no ambiente corporativo.

 

A InterOp é Parceiro Gold Microsoft. Conheça as nossas certificações Microsoft!

 

Fique atualizado com nosso melhor conteúdo!

    Compartilhe

    Leitores também acessaram: