Entenda o conceito de observabilidade e sua diferença para o monitoramento

A observabilidade é um novo conceito que vem sendo aplicado por equipes de desenvolvimento, infraestrutura e DevOps para observar o comportamento das aplicações e arquiteturas em nuvem.

Equipe Interop
Observabilidade

Devido ao aumento exponencial de complexidade nos sistemas e aplicativos modernos, tornou-se necessário contar com novas formas de depuração e diagnóstico para problemas complexos que afetam as infraestruturas das empresa. Afinal, nesse cenário, acabam surgindo muitas falhas imprevisíveis, as quais o monitoramento sozinho não é capaz de acompanhar para resolver os incidentes. Nesse sentido, uma nova abordagem para resolver estes problemas tem chamado a atenção dos profissionais de tecnologia.

A observabilidade é um novo conceito que vem sendo aplicado por equipes de desenvolvimento, infraestrutura e DevOps para observar o comportamento das aplicações e arquiteturas em nuvem. Entretanto, por ainda ser um conceito novo, pode gerar muitas dúvidas sobre o seu funcionamento e suas diferenças com a monitoração tradicional. Leia o artigo até o fim e entenda mais sobre o assunto!

 

O que é monitoramento e observabilidade?

Com a arquitetura de microsserviços sendo incorporada como o novo padrão para aplicativos web, a dinâmica de desenvolvimento passou por mudanças. Agora os diferentes componentes de sistema podem ser criados e implementados de maneira individual em várias plataformas, mas quando essa escalabilidade surge, o monitoramento tradicional não é mais tão eficiente, pois os problemas que surgem podem vir a ser desconhecidos.

O papel do monitoramento é entender o que e o porquê algo está quebrando e analisar tendências de possíveis problemas a longo prazo, combinando alertas do que está prestes a quebrar. A limitação do monitoramento se dá pelo fato de que para que ele seja eficaz é necessário saber quais métricas rastrear, por que elas nem sempre são lineares, sendo difícil prever falhas o tempo todo.

Já a observabilidade pode ser entendida como um superconjunto de monitoramento, tendo em vista que se um sistema pode ser observável ele pode ser monitorado. A observação traz informações que ajudam na monitoração, pois por meio dele você consegue navegar dos efeitos às causas em um sistema de produção, entendendo o que, onde e o por quê das coisas.

Também ajuda a equipe a ter domínio sobre o sistema e entender melhor como ele se comporta no ambiente vivo, especialmente em arquiteturas cloud, geralmente utilizadas para microserviços.

 

Elementos da observabilidade

A capacidade de resposta sobre o porquê das falhas permite a equipe realmente resolver os problemas na causa raiz garantindo a confiabilidade do sistema. A observabilidade do sistema tem três elementos principais para que ela aconteça de fato, que são:

1) Open instrumentation: Este elemento cuida da parte de coleta de código aberto e de dados de telemetria vindos de um fornecedor de aplicativo, serviço, host de infraestrutura, container cloud native, resumindo qualquer tipo de emissão de dados ele capta. Sua missão é trazer visibilidade para todas as dimensões das aplicações e infraestrutura.

2) Entidades conectadas: Todos os dados de telemetria devem ser analisados para que as entidades que os geram sejam identificadas e conectadas. Os metadados também precisam ser incorporadas e terem correlação entre entidades e seus dados. Essas ações trazem significado e contexto para grandes volumes de dados, trazer a aplicação de inteligência nessa etapa garante ainda mais previsão na hora da procura de padrões ou anomalias que irão auxiliar ainda mais as equipes.

3) Contextualização: Um ponto importante é que cada empresa é única, esse processo não tem ‘receita de bolo pronta’, as organizações precisam analisar seu contexto específico e a partir daí analisar seus dados de telemetria, associando dados críticos com suas dimensões de negócio. Ao mostrar claramente erros e falhas no processo de negócio e fornecendo o caminho para analisar os dados é possível encontrar o real motivo do que está acontecendo.

 

Pilares da observabilidade

A capacidade de resposta que os elementos de observabilidade trazem só são possíveis devido a utilização de dados de telemetria, conhecidos como pilares da observabilidade que reúnem informações sobre o sistema. Esses pilares são essenciais e quando trabalhados de maneira integrada, garantem uma abordagem de sucesso que proporciona entendimento sobre quais incidentes, como eles ocorrem, sua origem e quais seus gatilhos.

1) Logs de evento: É um registro imutável que apresenta data/hora de eventos discretos. Funciona como um diário do sistema, registrando em formato de texto eventos específicos, trazendo detalhes sobre ele. Geralmente é o primeiro dado a ser verificado quando algum incidente ocorre, pois pode ser obtido de três formas: texto puro, binário e estruturado.

2) Métricas: Pode ser definido como representações numéricas de dados e valores quantitativos sobre desempenho do sistema, utilizado para analisar o comportamento de um evento ou componente durante um intervalo de tempo. As métricas são um agrupamento de registros de log que mantém dados por mais tempo. Elas fornecem informações como nome, data, hora e KPIs.

3) Rastreamento: Descreve todo o trajeto de uma jornada e solicitação conforme ela percorre de um nó ao outro dentro de um sistema distribuído. Mostra como os serviços se conectam apresentando detalhes em nível de código, isso torna mais fácil o entendimento de quais elementos causam erros de sistema, o monitoramento de fluxo através de módulos e o encontro de gargalos de desempenho.

 

Benefícios da observabilidade

Dentre os benefícios podemos citar a melhora na visibilidade e um monitoramento mais seguro e eficaz. Isso se dá pelo fato de que a observabilidade traz uma visão beirando 360º de eventos e de performance que acontecem no ambiente. Além de identificar problemas real-time, ela exibe dados que mostram o fluxo completo da aplicação, o que possibilita prevenção a cerca de falhas no futuro.

De forma geral, a observabilidade trata de entender todo o processo, comportamento e estados da aplicação por meio da observação de suas saídas e dos dados. A experiência do usuário é outro benefício bem relevante, com a observabilidade você tem uma visibilidade de como os usuários finais vêem o desempenho do aplicativo, pois ela apresenta dados sobre a performance.

Fique atualizado com nosso melhor conteúdo!

    Compartilhe

    Leitores também acessaram: