Os 17 tipos de ataques cibernéticos mais perigosos para 2024

Na Era Digital, nenhum negócio está 100% seguro e livre da ação dos hackers. Por isso, é preciso conhecer os principais tipos de ataques cibernéticos e se preparar para manter seu ambiente de TI protegido. Para ajudar, preparamos uma lista com as 17 maiores ameaças para 2024. Afinal, quanto mais cedo você entender como os […]

tipos de ataques cibernéticos mais perigosos

Na Era Digital, nenhum negócio está 100% seguro e livre da ação dos hackers. Por isso, é preciso conhecer os principais tipos de ataques cibernéticos e se preparar para manter seu ambiente de TI protegido.

Para ajudar, preparamos uma lista com as 17 maiores ameaças para 2024. Afinal, quanto mais cedo você entender como os criminosos virtuais estão agindo, mais rápido conseguirá erguer suas barreiras.

Continue a leitura e fique por dentro desse tema tão importante!

O que é um ataque cibernético?

Ataque cibernético é um termo abrangente, que engloba uma ampla variedade de atividades maliciosas executadas por indivíduos ou grupos com a intenção de explorar vulnerabilidades em sistemas de computadores, redes ou dispositivos conectados.

Essas investidas digitais podem ter objetivos diversos, como:

  • roubo de informações e dados sensíveis;
  • interromper serviços;
  • aplicar golpes;
  • prejudicar a reputação de empresas.

Ao longo dos anos, com o crescimento acelerado da digitalização, os ataques cibernéticos acompanharam a evolução da tecnologia. Hoje, além de extremamente comuns, esses incidentes estão mais sofisticados e potencialmente danosos.

Para se ter uma ideia, de acordo com a Cybersecurity Ventures, o custo do cibercrime deve atingir US$ 8 trilhões em 2023 e crescerá para US$ 10,5 trilhões até 2025. Isso mostra que o tema é de altíssima relevância e precisa ser tratado com a máxima atenção, principalmente pelas empresas.

17 tipos de ataques cibernéticos que podem derrubar seu negócio

Embora os dados demonstrem um cenário assustador, as tecnologias voltadas para a segurança digital também evoluíram bastante. Mas isso não significa que a batalha seja fácil!

Lidar com as inúmeras ameaças cibernéticas existentes é um grande desafio. Além disso, é uma tarefa permanente, que passa por diferentes cuidados e práticas.

Por onde começar? Sua primeira ação deve ser conhecer e compreender os perigos à frente. Pensando nisso, reunimos os 17 principais tipos de ataques cibernéticos que podem afetar a sua empresa. Acompanhe!

1. Ransomware

O ransomware é um ataque cibernético no qual os invasores bloqueiam o acesso aos seus dados ou sistemas, exigindo o pagamento de um resgate para restaurar o acesso.

Geralmente, os dados são criptografados e ficam inacessíveis até que o resgate seja pago — o que nem sempre acontece. Esses ataques podem paralisar operações de negócios e resultar em perda de dados críticos, além de expor a empresa a danos à reputação.

2. Phishing

O phishing é um ataque de engenharia social no qual os criminosos enviam mensagens falsas aos usuários, frequentemente por e-mail. Assim, enganam o destinatário, fazendo com que revele informações pessoais, como senhas e informações bancárias.

Os e-mails de phishing podem parecer genuínos, levando os usuários a clicarem em links maliciosos ou baixar arquivos infectados. A partir disso, criminosos podem ter acesso a informações sensíveis do usuário e utilizá-las para obter vantagens e aplicar outros golpes.

3. Whale-Phishing

O whale-phishing é uma variante sofisticada de phishing que tem como alvo executivos e indivíduos de alto escalão em uma organização. Para isso, os cibercriminosos personalizam as mensagens, tornando-as adequadas às funções e responsabilidades da vítima.

Por envolver pessoas com acesso a dados privilegiados, o Whale-phishing é ainda mais perigoso. Afinal, pode expor informações confidenciais e garantir o acesso não autorizado a determinados sistemas e recursos do negócio.

4. DoS e DDoS

Ataques de Negação de Serviço (DoS) e Negação Distribuída de Serviço (DDoS) têm como objetivo sobrecarregar sistemas, redes ou servidores com tráfego excessivo, tornando-os inacessíveis para os usuários legítimos.

Nesse caso, os criminosos virtuais podem usar uma rede de dispositivos comprometidos — os chamados botnets — para aumentar o impacto de seus ataques.

5. MITM (Man-in-the-Middle)

Nesse ataque, um invasor intercepta a comunicação entre duas partes, muitas vezes sem que elas percebam. Por isso, trata-se de uma ameaça difícil de identificar e com grande potencial lesivo.

Desse modo, ele pode monitorar ou manipular a mensagem, além de obter acesso a informações sensíveis, como: credenciais de login, números de cartão de crédito ou outros dados confidenciais.

6. Engenharia Social

A engenharia social envolve a manipulação psicológica das pessoas para que divulguem informações confidenciais ou executem ações que beneficiem o invasor. Isso pode ocorrer por meio de telefonemas, mensagens falsas ou interações em mídias sociais.

Assim, na engenharia social, os criminosos exploram a confiança, a desatenção e a falta de diligência do alvo para obter informações e, a partir disso, praticar outros golpes.

7. Ataque de senha

Os ataques de senha têm como objetivo adivinhar ou roubar senhas dos usuários. Isso pode ocorrer por meio de força bruta, em que o invasor tenta todas as combinações possíveis, ou por meio de ataques de dicionário, nos quais senhas comuns são testadas.

Em muitos casos, os criminosos utilizam softwares para gerar combinações de senhas e automatizar o ataque. Dessa forma, conseguem torná-lo mais efetivo e perigoso, principalmente quando o usuário utiliza senha fracas.

8. Falsificação de DNS

Nesse tipo de ataque, os invasores manipulam os registros DNS para redirecionar os usuários para sites maliciosos, que se parecem bastante com o site legítimo.

Sem saber, a vítima permite que os invasores roubem suas informações confidenciais, como senhas e dados bancários para aplicar outras fraudes.

9. Força Bruta

Ataques de força bruta se caracterizam como tentativas repetidas e automatizadas de adivinhar senhas ou chaves criptográficas, explorando todas as combinações possíveis até encontrar a correta.

Na maioria dos casos, esses ataques são mais eficazes quando o usuário usa senhas fracas e com poucos caracteres. Isso porque, esse tipo de código exige menos combinações, agilizando o trabalho dos hackers.

10. Ataque XSS

Os ataques XSS (Cross-Site Scripting) exploram vulnerabilidades em sites para injetar scripts maliciosos em páginas da web visualizadas por outros usuários.

Isso permite que os invasores executem códigos nos navegadores das vítimas, roubando informações ou controlando sessões de usuário de forma oculta.

11. Malware

Este é um dos tipos de ataques cibernéticos mais comuns da atualidade. O malware é um software malicioso projetado para infiltrar, danificar ou controlar sistemas e dispositivos.

Na prática, diversos vetores podem servir para essa finalidade: vírus, worms, trojans, spyware e ransomware. Assim, cada um tem meio de agir para comprometer a segurança e a privacidade do alvo.

12. Cavalo de Tróia

Um cavalo de Troia é um tipo de malware disfarçado como um software legítimo. Uma vez instalado, ele abre uma porta de entrada para os invasores, permitindo acesso não autorizado ao sistema ou rede.

Essa ameaça virtual ganha ao enganar o usuário. Isso porque, ele pode fazer o download de um arquivo legítimo que vem acompanhado de um presente nada agradável.

13. Spoofing

Spoofing envolve a falsificação de identidade. Ou seja, os invasores mascaram sua verdadeira identidade e fingem ser uma pessoa ou entidade confiável.

Nesse tipo de ataque, é muito comum a utilização de e-mails, chamadas telefônicas ou sites falsos para dissimular o ataque e enganar as vítimas.

14. Zero Day

O termo “Zero Day” refere-se a uma vulnerabilidade de segurança em software que os desenvolvedores ainda não conhecem — por isso, não existe correção disponível. Em síntese, os invasores exploram brecha com rapidez, antes de que qualquer medida de segurança seja desenvolvida.

Os ataques Zero Day são particularmente perigosos porque as defesas de segurança tradicionais podem não ser eficazes contra eles. Dessa forma, os invasores aproveitam essa janela de oportunidade para comprometer sistemas, roubar informações ou causar grandes danos.

15. Ataque de Espionagem

Um ataque de espionagem é uma investida sofisticada em que invasores visam obter informações confidenciais ou segredos comerciais. Diferente de ataques que buscam destruir ou interromper, esse tipo de ataque tem como objetivo obter insights estratégicos.

Os invasores podem monitorar comunicações, infiltrar-se em sistemas ou redes e coletar dados sem serem detectados. Lembrando que podem ter como origem grupos criminosos, concorrentes, espiões governamentais ou até mesmo ex-funcionários desonestos.

16. Ataque de Aniversário

O ataque de aniversário é um tipo de ataque cibernético que explora fraquezas em algoritmos de hash. Um algoritmo de hash é uma função matemática que transforma dados em uma sequência de caracteres, conhecida como “hash”. Essa sequência é usada para verificar a integridade dos dados.

No entanto, os invasores podem manipular o algoritmo para produzir a mesma sequência de caracteres para diferentes conjuntos de dados. Isso significa que um invasor pode criar um arquivo falso que tenha o mesmo hash de um arquivo legítimo.

Dessa forma, sistemas de segurança que confiam nos hashes para verificar a autenticidade dos dados podem ser enganados e permitir a execução de ações perigosas.

17. Decoy

Decoy, também conhecido como “isca” em português, é um ataque cibernético que envolve o uso de informações falsas ou enganosas para distrair as defesas de segurança e facilitar outros ataques.

Aqui, os invasores atraem a atenção e recursos das equipes de segurança, enquanto conduzem ataques mais prejudiciais em outras partes da rede.

Quer um exemplo? Os hackers podem lançar um ataque de negação de serviço (DDoS) como uma distração, levando as defesas de segurança a concentrarem seus esforços em mitigá-lo. Enquanto isso, realizam um ataque de ransomware em segundo plano, que era o grande objetivo.

A defesa é seu melhor ataque. Proteja seu negócio!

Compreender os tipos de ataques cibernéticos é um passo essencial para livrar seu negócio dos perigos que rondam a era digital. Afinal, quando falamos em segurança digital, prevenir é sempre a sua melhor arma.

A digitalização e seus avanços são valiosos, mas não podemos ignorar seus riscos. Para 2024, mais do que nunca, será preciso se concentrar na proteção contra ataques virtuais — e já é hora de pensar no assunto.

É nesse contexto desafiador que a InterOp se destaca como parceira confiável em segurança cibernética. Nossas soluções avançadas abrangem todas as fases do processo: do planejamento estratégico até a implementação.

Além disso, nossa equipe de especialistas está pronta para auxiliar sua organização a identificar vulnerabilidades, reduzir riscos e estabelecer uma postura de segurança verdadeiramente eficaz.

Gostou deste conteúdo? Aproveite e confira também as 6 razões para investir na Análise de Vulnerabilidade e Gestão de Riscos!

Fique atualizado com nosso melhor conteúdo!

    Compartilhe

    Leitores também acessaram: